Carregando Carregando...
Fechar menu
Fechar menu

Meu carrinho (0 itens)

O Mito dos Cabelos Mistos

Tratamento

Ah, o famoso cabelo misto, aquele que… não existe. Isso mesmo, o cabelo misto não é um tipo real de cabelo! Para entender melhor, vem conferir nosso textinho!

 

Quantas pessoas você conhece que dizem que tem ‘cabelo misto’? Todo dia a gente recebe mensagens pedindo produtos específicos para cabelos mistos, e ficam surpresas ao descobrir que esse tipo de cabelo não existe! Na verdade, quando o seu couro cabeludo é oleoso, mas suas pontas estão secas, você não tem cabelo misto. Você está lidando com dois problemas capilares distintos ao mesmo tempo: excesso de oleosidade e ressecamento.

Nossa, mas e agora? Como enfrentar esses problemas sem que o tratamento de uma parte danifique a outra? Como atingir um perfeito equilíbrio entre o que o seu couro cabeludo precisa e o que as suas pontas precisam?

Felizmente, existem muitas dicas, truques e produtos que podem ajudar você a lidar com essa dualidade. Para trazer a solução ideal para vocês, convoquei uma videocall com o nosso querido Stephen Knoll, criador da linha SKNY, e com Tae Hasegawa, cientista da Kosé no Japão, especialistas em cabelo que com certeza vão poder ajudar a gente!

O que causa a oleosidade das raízes?

Vamos começar a entender esse problema. Ter raízes oleosas é algo super comum, porque o couro cabeludo é completamente tomado por glândulas sebáceas. “Cada fio de cabelo corresponde a um folículo capilar, e cada folículo tem uma pequena glândula sebácea anexa a ele. Como existem em média cerca de 100.000 fios na sua cabeça, você tem cerca de 100.000 glândulas sebáceas produzindo e expelindo óleo”, explica Tae Hasegawa. Com tanto óleo sendo produzido, é super natural ter raízes de cabelo oleosas; não é falta de banho nem nada assim.

“Esse óleo que as glândulas produzem também pode ser chamado de sebo, e tem a funcionalidade de manter a qualidade da pele e do cabelo. O sebo evita o ressecamento e ajuda a manter uma barreira eficaz de proteção contra os elementos”, complementa Stephen Knoll. A aula de biologia não me deixa mentir: a produção de sebo varia muito dependendo do clima, pois ajuda a pele e o cabelo a repelir o excesso de umidade ou espalhar o suor de maneira mais uniforme pela pele, para resfriá-lo do calor. Por isso o cabelo fica mais oleoso no verão, e mais seco no inverno.

E as pontas ressecadas?

Tem várias razões pelas quais nosso cabelo fica ressecado. “Do ponto de vista do óleo natural, o cabelo pode ressecar se a produção no couro cabeludo for muito baixa, como na menopausa, ou se o indivíduo estiver tomando algum remédio para acne”, diz Hasegawa. Essas condições diminuem a produção das glândulas sebáceas, o que diminui a quantidade de óleo que o corpo em geral produz.

“O cabelo também pode ressecar devido a danos na haste do cabelo, decorrentes do calor da modelagem, tratamentos químicos (coloração ou alisamento) ou por danos ambientais (excesso de sol, natação em piscinas de cloro ou na praia)”, diz Stephen. O Cabelo danificado tem a cutícula, que é a parte externa, comprometida. Ela tem um revestimento ceroso que ajuda a manter a lubrificação de cada fio de cabelo por meio da distribuição do sebo, desde o couro cabeludo até as pontas.

“Quando as cutículas estão danificadas, o óleo natural não viaja mais de forma eficaz ao longo dos fios, nem conseguem manter uma barreira eficaz contra os elementos, o que possibilita a perda da umidade interna, resultando no ressecamento da fibra,” completa Stephen. E as pontas sofrem principalmente porque estão mais longe da fonte de produção, que é o couro cabeludo.

Somando as partes…

Bom, já deu pra ver que os dois problemas são super comuns, por motivos diferentes, certo? E Hasegawa observa ainda que “qualquer atividade regular que retire a oleosidade natural sem dar tempo para que o sebo seja distribuído ao longo do cabelo e reposto resultará em pontas mais secas.”

Ter a pele e, por consequência o cabelo, é uma questão de genética. Mas Stephen conta que o excesso de oleosidade pode ser também causado pelos produtos que você usa, especialmente os orgânicos que contêm óleos essenciais.

As pontas secas, por outro lado, não tem nada a ver com genética, ele explica. Na maioria das vezes elas são causadas por descuido nosso, por meio da lavagem excessiva, exposição ao sol, ou do uso errado das ferramentas térmicas. Mas isso é uma boa notícia, porque significa que elas são mais fáceis de prevenir e consertar.

Equilíbrio é a palavra-chave!

Conseguir uma harmonia entre a saúde do couro cabeludo e das pontas depende somente de você e da sua atenção. Antes de mais nada, dê uma revisada na sua rotina de lavagem. “Passe o xampu apenas perto do couro cabeludo e das raízes,” diz Stephen. “De preferência aplique somente no primeiro terço dos cabelos, que é mais propenso ao excesso de oleosidade. E nunca nos outros dois terços”, completa ele.

Hasegawa observa que é melhor sempre optar por xampus suaves e livres de sulfatos. É que o sulfato tira mais oleosidade do que o necessário, fazendo com que as glândulas sebáceas produzam ainda mais óleo. “Os shampoos da SKNY, principalmente o Silky Smooth, são excelentes para remover o excesso de oleosidade sem ressecar completamente os cabelos”, afirma.

Outra ideia boa é escolher cremes de limpeza mais específicos. “Melhor ainda, use um creme de limpeza específico para o couro cabeludo, com o nosso Scalp Cleansing Conditioner,” recomenda Stephen. “Essa fórmula foi criada especialmente para purificar e revigorar o couro cabeludo, ajudando a equilibrar a produção de oleosidade. Ao mesmo tempo, que higieniza as raízes, vai eliminar as impurezas de todo o fio com suavidade, para reparar e deixar toda a fibra capilar mais resistente,” complementa.

Sabe como você aplicou o shampoo só no primeiro terço do cabelo? Então, você vai fazer o contrário com o condicionador. “Ao fazer o condicionamento, certifique-se de aplicar apenas no comprimento e nas pontas, evitando colocar qualquer condicionador próximo ao couro cabeludo”, diz Hasegawa. Já Stephen recomenda o uso de uma máscara de tratamento profundo semanalmente, “como a nossa Excellent Repair Mask que vai fazer maravilhas para as pontas danificadas e ressecadas que precisam de uma ajudinha extra.”

O que evitar

Por sorte, essa é a dica mais fácil de todas, e você não vai ter como esquecer! Evite lavar as pontas com xampu e usar condicionador ou máscaras perto do couro cabeludo, e mesmo que você ache necessário, não lave os cabelos muitas vezes.

Stephen observa que “lavar 3-4 vezes por semana é tudo que você precisa, pois lavar demais os cabelos pode causar ressecamento excessivo e também pode perturbar o microbioma do couro cabeludo, o que vai levar a mais problemas no futuro”. O excesso de lavagem é uma das piores coisas que você pode fazer com o seu cabelo, então evite a tentação.

Mantenha o equilíbrio

Quando você encontrar uma rotina que funcione para você, seu cabelo vai entrar numa fase de equilíbrio. Não perca esse equilíbrio! “Não tenha medo de misturar ao longo das estações ou de acordo com seu ciclo mensal quando a produção de sebo mudar”, diz Hasegawa. E, embora seja recomendado evitar lavagens excessivas, se houver muita produção de óleo, use um xampu seco de boa qualidade para absorver o excesso de óleo e refrescar entre as lavagens. Na verdade, o xampu seco é um dos melhores amigos da raiz oleosa.

Agora você já sabe que essa não é uma questão de usar um produto que diz ser para cabelos mistos, o que importa realmente é você usar a técnica correta. Então espero ter ajudado a desmistificar o que são os cabelos mistos, e acredito que seguindo essas dicas dos nossos especialistas você vai conseguir reequilibrar seu couro cabeludo e ajudar a transformar seu cabelo com o tempo.

E aí, a gente ajudou você a entender melhor o seu cabelo? Conta para nós nos comentários! E para ficar por dentro de todas as dicas de cuidados, acompanhe a gente nas redes sociais e aqui no blog!

Um beijo da Yumi <3